segunda-feira, 14 de março de 2016

Não digo

Eu não te direi o quanto me desconserta. Nem o quanto me bagunça. Porque eu não quero nem por um segundo admitir que seu plano, seja ele qual for, funcionou comigo.

Eu não te direi que sinto a sua falta em mais momentos do dia do que sou capaz de admitir em voz alta.
E muito menos o quanto a sua presença deixa qualquer lugar absolutamente confortável.

Eu não direi dos versos, das madrugadas e das reviravoltas que meu coração dá quando penso em você.

Não digo.

Nem digo também o quanto me pesam essas vontades loucas e o quanto eu me esforço pra manter o equilibrio nessa corda bamba de querer você.

Não digo que seu toque me tira do sério, dos eixos, da órbita, do chão. Muito menos que todas as coisas que eu faço, mesmo quando você não está, são pra te agradar.

Eu digo nada. Digo não senhor.
Vou permanecer assim sem dizer uma só palavra.

Até porque, devo admitir, esqueço de todas elas quando você sorri. 

Um comentário:

matheus disse...

alguém anda apaixonada ein!
Todas tuas palavras fazem um enorme sentido. Por vezes queria me sentir assim.

Como de costume tu consegue expressar tudo que tu sente e nos faz imaginar exatamente isso também.

Parabéns Maria.