sábado, 12 de outubro de 2013

Do ponto final pra frente

A vida não é livro que após a última página, se fecha, acabou. Nem música, que ao final dos acordes se cala. A vida é ciclo. E continua após um ponto final. E você que se reinvente, se rebobine, reconecte, refaça. Você que dê um jeito, porque a danada não pára pra lhe esperar.

De cada enredo, um aprendizado, uma bagagem, uma memória. Desnecessários ou não, carregamos para o próximo início todos os outros pontos finais. Tem gente que chama de amadurecimento. Eu prefiro chamar de sacanagem.

A vida e seus pontos finais são uma grande SACANAGEM!

Será que só de vez em quando algumas partes não podiam ficar pra trás? Fechadas, como um livro, encerradas como um filme, caladinhas como música que acabou? Mas não, né? Tem sempre um eco, uma lembrança sem jeito, uma pontinha, uma pontada.

O que nos resta é aceitar e encher a sacola de coisas vividas, saudáveis ou  não. E partir para o novo, sem dó nem piedade. Tentando não pensar demais no que "poderia ter sido", superando o que "já foi" e torcendo muito pelo que há de vir.

Posto que do ponto final em diante, há uma nova possibilidade, um novo caminho, novas cores, novos sabores, novas pessoas, sensações, frustrações, pancadas, arrependimentos, lágrimas, memórias para construir.

Aliás, no fim das contas, é mais ou menos isso que a vida é: construir memórias. E aprender a lidar com elas.