domingo, 30 de junho de 2013

Acontece

Acontece que eu sou romantica.
Acontece que ele não é.
Acontece que eu quero tanto...
E acontece...bom, acontece que ele não quer.

domingo, 23 de junho de 2013

Só de vez em quando

Se eu penso nele? Ah..bom, às vezes, né?
A mente da gente não tem como controlar. 
Mas também, é só de vez em quando!
Nas vezes em que estou sozinha querendo uma companhia, fico meio querendo ele também. E também tem aqueles dias em que estou rodeada de gente, e pensando que ele podia ter vindo também, sabe?
Mas é só uma coisa que passa na minha cabeça beeeeeem uma vez ou outra. Nada muito importante.
Pois é eu penso, né. 
É que quando eu me distraio eu lembro do vinho seco engolido às pressas pra não sentir o gosto, do arrepio, do beijo, da pressa, do prazer...
e de como eu queria tanto  antes e, surpreendida, eu quis tão mais depois.
E  como eu queria  tanto agora.


De novo, de novo, demais.

terça-feira, 11 de junho de 2013

Não vou deixar

Entenda de uma vez: não vou deixar você voltar!
Você me bagunça! E tem sido uma trabalheira desgramada colocar tudo lugar, embelezar a paisagem no meu olhar e te descartar. Não dá, não dá, nem vem!
As coisas fogem do meu controle quando você vem e deixa a minha consciência numa espécie de estado letárgico que quase me impede de lembrar que com você a vida é muito mais complicada do que eu posso suportar.
É sério.
Lembro do dia em que você foi embora e voltou pouco tempo depois pra dizer que esqueceu de avisar, mas ''não dava mais pra voltar, porque tudo mudou um pouquinho no seu coração''. E daí eu sobrei lá pra fazer mudar no meu também, né?
Aí aqui estou eu ainda um pouco atormentada pelo fantasma do que um dia eu chamei de amor e tentando esquecer as ''as coisas lindas, tão mais lindas'' de quando você esteve por aqui. E eu to numa boa, juro.
Mas você resolveu aparecer de novo pra dizer isso de ''eu te amo e tu me amas''? E só porque você me deixa zonza, me tira o fôlego e sabe exatamente onde ficam os meus pontos cardeais, não vem pensando que eu te deixo entrar de novo!
Que nesse mundo não existem barris de cerveja, garrafas de vinho e poesias de amor barato que me tirem mais a fossa.
 Já testei todas.