terça-feira, 24 de julho de 2012

Eu tinha certeza

Eu ia te amar só enquanto você sorrise largo e me contasse sobre o seu dia sentado naquela cadeira velha de madeira enquanto eu abria as janelas ou procurava algo na estante.
Era pra eu te amar só até você parar de escolher a música certa pro domingo ou dexar de trazer a cerveja geladinha no ponto.
Eu queria te amar até seus pés deixarem de ser incrivelmente quentes e você perder a mania de repousá-los nos  meus à noite.
Sério, o amor ia acabar no instante em que você descobrisse que existem outras piadas na face da terra e que o humor não se resume às  loiras burras. Ou você descobrisse um filme mais engraçado do que ''se beber, não case".
Bastaria que você parasse de esquecer datas importantes, deixasse de colecionar coisas exóticas, ou não gritasse impropérios pros personagens da novela das oito.
Eu pararia  com esse amor assim que seu tom de voz fosse outro. Sua banda favorita fosse outra. Seu prato favorito, seu ritmo, suas carícias, seus sonhos... Tudo novo.Assim que tudo fosse novo, eu ia deixar de te amar.
Porque, você sabe, eu só estava nessa pelo seu jeito peculiar de levar a vida. Sua  mania de, literalmente, viver um-dia-de-ca-da-vez, assim, devargarzinho.Porque eu sempre amei a sua forma de ser você. Então eu  soube desde o início que qualquer mudança, minima que fosse, destruiria tudo. Me desencantaria.
Mas ai você mudou...
e eu me apaixonei de novo.
rs

14 comentários:

Natalia Lima disse...

ah Maria, adoro seus textos gatona! Parabéns :)

Vanessa disse...

Eu também não desapaixono. Apaixono ainda mais, mesmo não concordando! Sei lá, é muita complicação nessas coisas, né? E a gente não desiste nunca! Adoro aqui, Maria! Sempre bom ler teus posts!

Luu disse...

A gente acha que só pode amar aquela pessoa de tal jeito, aí a gente muda, a pessoa muda, até o amor muda, mas só nos faz ficar ainda mais apaixonadas!
Adorei demais, parabéns!

;*

Adna Martins disse...

Que saudade de você, Maria!
Que saudade disto - tua escrita.
Lindo Lindo, Linda.

Mariana Andrade disse...

Haha adorei esse, Maria. A gente ama pelo amor, pelas sensações que ele desperta. Se adaptar também faz parte desse amar.

Antônio disse...

Amar as mudanças é um sinal excelente... Depois que casei, aprendi o quanto isso é importante.

Obrigado pela leitura lá no Que Momento! e também pelo comentário. Vim retribuir a visita e, conforme as referências de duas amigas que te conhecem, realmente corroboro que escreves muito bem. =)

Beijo, guria!

Flá Costa * disse...

ahhhh maria que delícia de texto! e que cereja de bolo no final! acho que o que você descreveu desse jeito delicioso é simples e puramente o que é o tal do amor de verdade.

beijoca

Henrique Miné disse...

quem dera eu poder me apaixonar assim, de novo. se já ta foda se apaixonar uma vez por uma pessoa, quem dirá duas pela meesma.

mas tamo aí na correria, né?

ai ai, sua doçura, maria!

beeeijo!

Camila disse...

Sentimento lindo o teu ..

Rafael Pin disse...

oooooooooooooowwwwwwwwwwwwwn, oh peste vei eu me arrepiei, sério?! Tava com saudade de ler você veeeeeiii!! Deu saudade de você agora Maguiiiiaaa!! ;*****

Froide disse...

Amor que se acumula. Cada dia a gente ama mais e mais, vai ficando impossível o desapaixonar.

Flá Costa * disse...

Menina cadê você tão cheia de palavras bonitas?
Volta!

Maria disse...

rs A vida é tão surpreendente, né?
Ele mudou e você também. E o amou de novo! E que seja assim até sempre.

lindo texto.

Meu beijo

L.C. Junior disse...

Entendo perfeitamente isso, amar em varias nuances da mesma cor ou numa cor totalmente diferente, amar mais o mesmo, ou só amar e amr novamente por que deu vontade...