segunda-feira, 27 de junho de 2011

Só se você quiser

Queria apenas que você soubesse dessa sensação engraçada que eu sinto atrás do pescoço, quando você pega na minha mão. É um arrepio doce, uma coisa realmente muito gostosa de sentir. E quero falar também daquele dia em que você me contou um segredo tão grande, que me fez sentir uma pessoa importante na vida. Na sua vida.
Queria só que você olhasse nos meus olhos e visse o brilho intenso que eles exibem, se você sorrir aquele sorriso mais bonito de todos os sorrisos do mundo. Seu sorriso é a coisa mais gostosa que eu já vivi pra ver. Sério, eu romperia com o mundo só pra ficar ali, parada, olhando você sorrir.
É piegas, mas é verdade.
Eu nem vou entrar em detalhes sobre as coisas que sinto só de pensar em você, ah.. me perderia na imensidão de lados positivos em estar ao seu lado.
Daí então que é esse o ponto: eu quero me apaixonar por você.
E deixa que depois gente decide pra qual lugar os meus erros vão levar essa história toda. Ainda não descobri o que vai acontecer com a gente, não sei onde tudo isso vai levar. Não sei o que você quer mas sei o que quero.
Quero sentir arrepios, vontades... quero me sentir á vontade. Quero te querer, mas só se você quiser...né??

domingo, 19 de junho de 2011

Três pontos finais

Um.


Não era doce, mas era quente e forte. Como aquele café que a gente faz no fim do dia, pra curar a dor de cabeça que os afazeres nos deram. Era incrivelmente intenso e fazia perder os eixos. Era uma delícia. Chegou insuspeitado e todo aquele blablablá. E foi verdade. Uma das pouquíssimas verdades da minha vida. Minha incrivelmente sacana vida. Me deixava um gosto amargo de rock'n roll na boca, toda vez que partia. Empurrei com a barriga e acabei deixando rolar escada abaixo. Continuou quente, mas deixou de ser forte. Ai que saudade que dava de achar interessante sentar no chão frio de uma praça deserta pra contar desamores, duvidas, medos... Olha, isso fazia de mim a pessoa mais boba e mais feliz do mundo, naqueles dias. Acabou que eu nem senti. Na verdade, ainda sinto vontade de ter sido diferente. Mas não era pra ser. Não era pra mim. Era pra outra, não é?


Dois.


Ah, que doçura. Que vontade de apertar contra o peito e deixar ali, aninhado, empernado, preso pra sempre. Era doce, mas não era quente. Era incrivelmente gelado. Como um sorvete, e no calor a gente sabe que é impossível viver sem. Era IMPOSSÍVEL viver sem, que droga. Chegou mais rápido, avisou que estava vindo, mandou eu arrumar o coração e colocar flores em cima da mesa e no sorriso. Fui lá e fiz. Tudo impecável, lindo, meigo, fofinho. Era uma bossa-nova, um samba gostoso no fim de tarde. Me deixava de coração sambando toda vez que partia. Uma vez foi e não voltou...Aí um dia, chegou aqui, abriu a porta, me fez saltar. Meu coração saltou junto. Uma pulação bonita que só, e um aviso escroto de ''Não, baby, eu voltei pra avisar que não volto mais...''


Três.


Ultimo suspiro. Desempolgado, desengonçado,. estranho, estranho... Nem bem começou e já foi se juntando aos outros. Não teve tempo de ser nada mais que um novo final. Já iniciou terminando, tipo aqueles filmes que começam pelo final. Insisti pelo costume, pela esperança que não consigo apagar do meu sorriso. Ah, acabou.



Um. Dois. Três.

São três pontos finais, quer dizer que acabou três vezes.

Eu sei, você sabe, eles sabem.

Mas eu insisto até o fim, que aprendi na infância: três pontos juntos, são RETICENCIAS.

Ou seja, isso tudo acaba, mas não termina.

Acabou, mas não terminou.

Não terminou.


...e continua.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Os quereres

''Sabe, menino, você é bonito. Mas não é só bonito, é especial. Voce conseguiu transformar um showzinho sem-graça, num acontecimento. É bobagem falar assim, voce vai me achar maluca, mas... eu posso te ver de novo? E seempre? ahahaha ( Mariana para Carlos, no dia seguinte por depoimento do orkut - Eles namoram há cinco anos e vão se casar amanhã);

''Eu gosto de você. Pronto, falei.'' (Paulo para Claudio - eles estão juntos há 3 meses)

"São 72 horas desde o beijo que voce me roubou. Esse tipo de coisa deveria sair rápido de nossas cabeças, né? Não saiu. Você não saiu. Me ligue, me bipe, me queira...'' (Pedro para Bianca. Ela achou bonitinho, mas não queria nada sério agora. Pedro hoje em dia namora Clarisse, mas esperou um tempo para se declarar)

'' Meu Deus, eu acabei de te conhecer, mas voce parece tão única que.. nossa. Eu posso querer bis?'' (André para Letícia. Ela se apaixonou, ele só queria sexo. Hoje ele é Solteiro e ela, casada com Gustavo )

''Uma semana, três beijos. E tudo o que consigo pensar é em como voce fica lindo de blusa listrada. HAHA Me liga, vai, me liga!) (Marcela para João, em depoimento do orkut - eles namoram há 2 anos)

''Eu sei que é muito cedo, mas eu me sentiria idiota se deixasse pra falar isso mais tarde. Eu realmente quero você. É pra eu desistir ou insistir, ein?'' ( Sms salva nos rascunhos do meu celular. Não enviei. Ainda.)

...

domingo, 5 de junho de 2011

Só Maria

Só Maria pra passar o dia

Pensando no que não devia

E dormir sozinha

Pensando no que não tinha


Só Maria pra inventar amor


Disfarçar toda essa dor


E fazer confusão

Sempre que ouvir um não.


Só Maria sabe de Maria


Só a Maria cabe o que vicia


Só Maria entende sua Filosofia.


E se tem no coração uma vontade,

Só Maria que é tão covarde

Dizendo que é pra não perder tempo

Deixaria pra depois o sofrimento.



Só, Maria caminha impaciente.

Só, Maria não entende essa gente.

Só, Maria quer gritar e xingar

Mas não é só Maria que sabe que isso vai passar.


Só Maria é só Maria.


É só, Maria??


Somaria com Maria?


Só.









Se alguém conseguir me explicar porque não consigo comentar em blogs, nem colar textos no meu blogspot, vou amá-lo eternamente. Caso contrário, não sei o que está havendo, vou ficar sem responder comentários e tal. Se nada der certo, farei outro site em breve. =/

sábado, 4 de junho de 2011

Desamando

Olha, eu vou dizer apenas uma vez, porque depois disso não vai adiantar repetir: eu amo você.
Amo, amo e amo. Inclusive as suas piadas sem-graça e a maneira insolente com que você faz arroz. Cara, nunca entendi um ser humano que não sabe fazer arroz como você.
Enfim, é sério. Eu amo até o som da sua risada e o seu rosto inchado de manhã. Amo e não esqueço nunca de como você fica no frio, desejando amargamente que quando você acordar o sol esteja no céu brilhando e convidando você prum surf na praia.
Mas acontece que meu amor envelheceu. Ficou passado, desgastado, cansado. Perdeu o brilho do começo, sabe?
Eu perdi a vontade de te ver todos os dias, de saber como você anda, de vasculhar seus bolsos pra saber se não tem um bilhete ou um lembrete de outra. Perdi. Perdeu-se tudo com o tempo.
Eu só não sei como explicar isso de amá-lo sem amar mais. Porque eu sei que amo pois ainda sorrio se penso em você. Mas eu não penso tanto. É tão confuso... não sei se você consegue acompanhar meu raciocínio.
Eu sempre vou amar você.
Posso conhecer um milhão de pessoas, todas elas maravilhosas, que façam o melhor arroz do mundo e aceitem tomar chocolate quente no frio sem amaldiçoar meio-mundo de gente, que gostem de ler, de olhar o tempo passar na janela e sejam menos hiperativas e IMPERATIVAS do que você. E eu posso até amar cada uma delas. Mas eu continuarei amando você.
E querendo seu bem, seu sorriso mais aberto e sua presença.
Eu só não quero mais você. Entende?
É isso, acabou. Quer dizer, eu sei que você já deve ter percebido que o espaço no armário aumentou e tem um peixe a menos no aquário. (Não fazia sentido deixar a ''Ela'' contigo - mas o ''Ele'' ficou, alimente-o por favor).
Deixei uma fatia de bolo na geladeira. Não me procure mais, deixe o tempo nos juntar um pouco mais tarde.
Um beijo grande, sweetie. Te amo, viu? Amo sim.

Fui.

ps: Você precisa aprender a lavar suas meias, agora. E a fazer arroz.


(inspirado num casal de amigos. Ou ex-casal, como preferirem)