segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Quase impossível

Como não sentir medo depois de um filme de terror. Como pentear o cabelo do Cebolinha. Como esquecer aquelas músicas que grudam na cabeça mesmo se você escutar só uma vez. Como não gostar do Chico Buarque. Como morar numa casa muito engraçada (sem teto, sem nada). Como não sentir curiosidade. Como não sentir frio em Vitória da Conquista. Como esquecer os óculos quando vai ao cinema. Como dormir cedo num sábado. Como não sentir tédio num Domingo. Como ter passado a infância sem brincar de pega-pega. Como encontrar um trevo de quatro folhas. Como não sorrir depois de ler alguma coisa do Neruda. Como não se apaixonar perdidamente por aquele ator, depois daquele filme. Como não conseguir fazer uma rima idiota. Como nunca ter ido a um show de banda ruim e se divertido muito...

É tão estranho. É improvável. Dezarrazoado.
E ainda assim, eu quero  você.

19 comentários:

Vanessa disse...

Aaaah, adorei! Que bom que voltou a postar.
Beijos

Leila Ghiorzi disse...

Tudo muito lindo e verdadeiro aqui. Não resisti, tive que colocar nos meus indicados. Voltarei mais vezes, certamente. :)

A Escafandrista disse...

Boas analogias, parecem os versos doces de uma menina. Prazer em conhecer ;)

Igor Mascarenhas disse...

Olá, primeiramente, obrigado pela visita. Espero que goste do meu espaço. Escrevi uma poesia parecida com seu texto, vale a pena conferir: http://ow.ly/7ATME

Gostei muito do blog e voltarei mais vezes. A propósito, como encontrou o meu ?

Elisa Cunha disse...

Dá vontade de dizer: "Como não gostar desse texto?"
Você escreve muito, Maria.!

Rebeca Amaral disse...

Impossível é não se encantar com tuas letras... Todo o resto, o acaso provém.

Beijo, flor.

Henrique Miné disse...

dezarrazoado, taí, uma palavra que não conhecia e que vc encontrou para resumir perfeitamente tudo isso que acabou de dizer, haha.

beeeijos.

quaresma. disse...

que a recíproca seja verdadeira ;)

beijas, Má ;*

Luna Sanchez disse...

^.^

Lindinho, do tipo que faz brotar sorrisos doces.

Beijos.

Mah disse...

Como n amar o q vc escreve?

=D

vc é demais!

bjo

Jéssica Fiaz disse...

Quase impossível é não gostar desse texto.

Mari. disse...

É insuportável, é dor incrível - viver sem você.

;)

Charlie Bravo' disse...

Como não lê-la se isso é bom, ótimo até.

Charlie.

Laís Pâmela disse...

Ah, eu achei seu blog no da Nadine, e resolvi passar aqui, e amei amei demais.
É meio complicado mesmo não ficar com tédio num domingo, complicado não chorar com os textos de Caio F. Abreu, não se sentir a super poderosa depois dos textos de Tati Bernardi, ou não pensar naquele alguém quando se escuta aquela música.


Adorei mesmo, te seguindo.
Bjs.

Gislaine Fernandes disse...

Como não gostar do seu texto????
Impossível!!!
beijosss

Poetinha Feia disse...

Que lindo!!!

E se nós soubessemos a razão do amor que graça teria amar?

Bjinhos

Isadora disse...

que bom ter encontrado o motivo e a razão de tudo isso :)

Pode chamar de diário. disse...

Realmente como não lê seus textos e amar a maneira como escreve-os, muito bom!

Sofia B. disse...

Adorei!!!!!