sexta-feira, 4 de novembro de 2011

O problema dela

Não é o sorriso manhoso ou o olhar provocante que ela solta pra meio mundo de gente sem se preocupar em quem vai atingir. Não é o fato de preferir andar sozinha, comprar a própria bebida e entornar várias doses. Nem o jeito engraçado que dança ou os abraços que distribui por aí. Não são os lugares que frequenta ou os olhares que lança. Nada disso. O problema dela é outro.

Não é o perfume doce nem a preferência por bebidas fortes. Nem aquela olhadinha de banda, nem esse ar de dominante que ela tem. Nem a mania de falar o que quer, fazer o que quer, na hora que bem entende. Não, não, a questão não é essa.

Não é a inteligência quase agressiva, a aparente força, a falta de vontade de fazer isso e aquilo. Nem a maquiagem marcada nos olhos. Nem o decote notável. Nem a dança desenvolta. O ar de rainha ou a forma como ela parece querer estar com todo mundo ao mesmo tempo.  Não, não, não!

Não venha você me dizer que o problema dela é esse.

Sabe por que? Porque o problema dela é exatamente o contrário do que você pensa. Ela não é de todo mundo, cara. Aquela moça não é de ninguém. 
Absolutamente ninguém

(Sobre conceitos, preconceitos e estereótipos)

17 comentários:

Mônica Silveira disse...

Muito legal mostrar a mulher como ser independente!

Vanessa disse...

Gostei muito do texto!Independência, auto-suficiência... Mas, definitivamente, essa não sou eu, haha! Beijos, Maria.

Marcela Alves disse...

auhuha me identifiquei bastante com esse post!...
beeijos flor

Fernanda. disse...

Amei o texto! Ela é o tipo que toda mulher independente é! Que sabe se amar acima de tudo!!! Amei mesmo! Beijos

Michele P. disse...

O texto fantástico, mas o que me chamou a atenção foi a narração em 3a.pessoa. Gostei.

Um beijo

Mariana Andrade disse...

já ouviste "essa mulher" do Arnaldo Antunes? teu texto me lembrou essa música haha


muito bom, como sempre.

Letícia Vasconcelos disse...

Vejam como é forte
A que eu conheço
Sua sapiência
Não tem preço
Satisfaz meu ego
Se fingindo submissa
Mas no fundo
Me enfeitiça... (Mulher-Erasmo Carlos)
lembrei dessa musica!
lindo texto! beijo!

Henrique Miné disse...

sorte que parou logo, porque já tava quase me apaixonando aqui! haha


beeeeijos.

Ilária Oliveira disse...

basicamente eu essa tradução de mulher.
Bom texto.

http://hilariaoliveira.blogspot.com/

Gabriela Freitas disse...

gostei disso! muito bom texto

Luna Sanchez disse...

Pertence-se.

;)

Stella Rodrigues disse...

Apredendo com você uma nova maneira de escrever, amei (:

Adna Martins disse...

Mais uma boniteza tua, tão tua.
Que gosto lindo.

Carolda disse...

Ninguém é de ninguém, já dizem por aí. Por que diabos insistem tanto nesse sentimento de posse?

beijo, Maria.

Erika disse...

Essa moça é especial. Talvez como na música de Chico, ela faça cinema. (Foi o que me lembrou de cara, qndo li). Quanto ao Dia Branco e Geraldo Azevedo, ele sempre me ganha tb. Apareça...

Felipe Braga disse...

Que problema?

Ela é tão linda, Maria. Ai, se eu estivesse perto dela!

Ludmila Melgaço disse...

Me achei tanto nesse texto que eu tô até com medo!

obrigada pela visita, voltarei mais vezes, amei teu blog!
beijo! =)