terça-feira, 15 de novembro de 2011

Devoluções

Você esqueceu aquela blusa preta aqui. É por isso que eu estou ligando, porque a encontrei dentro da minha gaveta. Lembra dela? Aquela que ficava ótima com sua calça jeans e o tênis que você sempre usa. Então, essa mesma. Que você usou no nosso primeiro encontro e também naquele dia em que tomamos sorvete no frio.
Aliás, você deve tê-la usado pelo menos umas outras cinco vezes, se não me engano... você gostava muito dela, não é? Daí que eu resolvi te avisar que ela ficou aqui, esquecida. Que  é pra, caso você sinta falta, não hesitar em vir aqui...pra pegar, sabe? É sua, né.
Então... e como é que vão as coisas? Quer dizer, aproveitando que eu liguei é bom saber de você, como está, essas coisas. Mas se não quiser prolongar a conversa eu vou entender. Ainda é estranho pra você, né? Essa coisa de não saber como me encaixar no posto de ''ex-aquela-coisa-toda'', mas pode ficar tranquilo que eu só liguei pra falar da blusa.
Porque...porque você gostava muito dela, não gostava? Você queria tê-la consigo, era notável, não tem como negar... Hã? Sim, claro que eu estou falando da blusa preta que você esqueceu aqui, menino. Quê mais haveria de ser? Hum.
Eu? Eu tô bem, não se preocupa. Tem muito trabalho, muito livro. Esses dias eu vi um filme ótimo, você ia adorar assistir, tinha aquela música na trilha sonora, aquela que eu uma vez falei que me lembrava você. Pois é, só que eu não lembro quem cantava ela no filme, mas era tão boa... depois eu olho e ligo pra dizer.
Então. Pois é. No fim das contas, eu fiquei com sua blusa preta e tô ligando pra dizer que quero devolver. E já que estamos tocando nesse assunto de devoluções, coisa e tal... Tu ficou com uma coisa minha também, e seria bacana ter de volta.
Aí, tem como devolver meu coração?
...

22 comentários:

ALACAZUM PALAVRAS PARA ENTRETER disse...

Para começo de conversa... gosto a forma como você conduz a narrativa. Natural, naturalmente pessoal ou não (as vezes nos confunde se é real ou fictício). Fica sempre a dúvida! É isso é legal! Obrigada, por nos brindar com tuas palavras. Darei um tempinho para ler você de novo no rádio. Abração, Celeste Martinez. ALACAZUM PARA VOCÊ!

Shuzy disse...

Poderia ser um texto triste, mas você deu a ele uma alegre leveza.

=*)

Bonito...

Vanessa disse...

Adorei o texto, Maria. Fiquei na dúvida se a ideia era a de ser um monólogo (ela pensando em como seria ligar para ele), ou se era mesmo o telefonema em tempo real. Adorei ficar com a dúvida!
Triste, mas leve.

Beijos

quaresma. disse...

acho que isso daí você terá de ir buscar, porque tem gente que curti colecionar corações alheios, sei lá.

beijas, Má ;*

Dan disse...

hmm tava indo bem.
mas eu sou orgulhoso demais pra pedir meu coração de volta pra alguém. eu pego ele sozinho.

bjo gata!

Flá Costa * disse...

ai que xuxu de texto.

e ó, esse tipo de coisa é dificil viu? as pessoas são egoístas, não devolvem assim de boa vontade, não! a gente tem que pegar de volta na marra! rs

Gabriela Freitas disse...

É, seria bom recebe-lo de volta viu.

Gislãne Gonçalves disse...

Mas alguns não aceitam devolução!

beijos
:)

Henrique Miné disse...

ahaha, vai ver, só quando você lembrar qual a tal música :b

Marcela Alves disse...

auhhua que gracinha! falarando em devoluçoes... Amei!

Luna Sanchez disse...

Xiiiiii...E se estiver aos pedaços, Maria?

=\

Beijos, adoro teus textos.

carla reis disse...

AAAAAAAAAAAI MARIA SÓ VOCÊ! Que perfeito!

Srtª Vihh disse...

Opa, gostei disso, bastante... bastante! Essa conversa tem aquele "quê" de algo não terminado, sabe? de muitas coisas para dizer, mas que vão continuar ai, engasgada na garganta para sempre, morrendo junto.
Não sei se iria querer devolver a camiseta, foi bastante coragem já ligar... vê-lo,seria crueldade!
Achei triste... Mas bonito ao mesmo tempo.
seguindo.

Fernanda. disse...

Muito perfeito, mas triste :/ é muito ruim mesmo quando ficam com essa coisa importante que a gente tem... as vezes nem com muito cuidado podemos saber pra quem entregar com confiança.

Retrato em Branco e Preto disse...

Vamos fazer um bazar com esses corações devolvidos?
Texto muito bom!
=)

Mah disse...

Desfecho sensacional...!
Liga pro cupido, boba... coloca ele no Procon... de repende o ex-alguma-coisa, ao se sentir pressionado, te devolve logo!

Beijooo!

Mariana Andrade disse...

juro que de vez em quando leio teu texto em voz alta, pra me imaginar falando as coisas que escreves hauehauehaueh porque, sério mesmo, cheguei a pegar o celular pra fazer uma ligação.. mas sabe, eu gosto da blusa preta (e, pode acreditar, é mesmo uma blusa, e é mesmo preta), e não sei se quero o coração de volta.. tá tão bem guardado.. eu podia não cuidar bem, então melhor deixar por lá mesmo.


de qualquer forma, eu adoro teu jeito de escrever.

beijo grande.

Letícia Vasconcelos disse...

Arrasando como sempre né? muito bom Maria! ;)

Tamara Lacerda disse...

Ooow! Vim aqui falar que achei uma fofura isso.
Ai vi o comentário de Celeste, fiquei feliz! Ela é uma pessoa maravilhosa, o programa e o blog sao muito bons.

Luísa Zanni disse...

Adorei as pausas. Como leio em voz alta, determinei o tom que me convinha pra sua personagem. E fiquei imaginando o tom de quem ouvia o telefonema do lado de lá. Será que ele pretende devolver o coração?

Erica Ferro disse...

Esse texto me lembrou TANTO de Caio F Abreu. Leitura fácil, gostosa e encantadora.

Lindo, Maria! LINDO!

:*

Carolda disse...

Poderia ser um texto triste, mas você deu a ele uma alegre leveza. [2]

coisa linda, Maria.