sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Aquarela

''Se eu me entregar total, meu medo é você pensar que eu sou superficial'' (Rita Lee)


Sou romântica demais pra acreditar em eternidade sentimental, mas eu preciso que você acredite no que digo e sinto agora: é uma merda grande do caralho! Aliás, grande não. Intensa. Porque grande é dimensão e, sinceramente, eu não sei exatamente aonde isso vai dar. E nem quero saber.

Eu acho tão bonito pensar em você e sorrir instantâneamente e sem peso nenhum, sabe? Acho bonito também o jeito que você me olha, assim bem fundo, com esse seu olho marrom e eu sinto que você realmente me vê. E eu não estou acostumada a quem me olha e vê de verdade. Além da minha pele marcada pela insonia e mosquistos. Tu me vê. E puta-que-pariu, que medo que eu tenho disso.

Não sei com certeza se eu queria que as coisas tomassem esse rumo, na verdade. Quem é que consegue conviver com essa pressão constante, essa responsabilidade? Não dá, não dá. Eu simplesmente não teria escolhido essa agonia, essa ansiedade, esse...não-saber-como-agir-ou-o-que-falar. Mas olha só o que aconteceu.

NÃO SEI LIDAR COM ISSO. A verdade é essa. Você me deixou idiota, ciumenta, carrancuca e levemente feliz. Eu me enrolo, atuo, finjo que não, mas a verdade é que: sim. Sim. Pra todas as suas perguntas, sim.

Eu era uma parede pintada de branco. Já surrada e descascando. E fazia tempo que eu estava simplesmente desacreditada de cor. Era tudo simplesmente branco. Mas aí veio você, aquarela. Dividiu comigo as suas cores. Pincelou com cuidado, de leve. Hoje eu estou aqui, co-lo-ri-da.

Culpado você. Culpada eu. Culpado o universo que brincou de te fazer exatamente do jeito que eu gosto.Nunca vou conseguir entender o por quê da melhor coisa a nosso respeito, ser o único motivo pra ter medo de sentir o que sinto. Mas sabe de uma? Lhe digo duas: eu quero. Assim, desse jeitinho.Aconteça o que acontecer e que no fim, acabe. Mas que acabe entre aspas, porque eu não vou saber lhe desencaixar do peito. Tu tá tipo fincado, já. Peça-do-meu-quebra-cabeças, você.
Não penso no tempo, não penso nos outros, nem no quão ridículas as coisas possam parecer ditas assim (sem falar na exposição a que me sujeito)...Eu só penso em você,o tempo inteiro. E há um bocado de tempo.

15 comentários:

Anônimo disse...

Bem lindo o que você sente...
Me faz lembrar do que eu sinto por uma pessoa, daqui...
Essa coisa de aquarela me lembrou mudança de cores.
By: @RaffMelo :b

L. Sampaio disse...

É tão bom sentir tudo isso que parece ridículo visto de fora, mas dentro, dentro é uma coisa tão linda! rs
Sei exatamente como se sentes...
beijos.

Gabriela Freitas disse...

que lindo, adorei mesmo este texto, você escreve pra, desculpe o palavrão, caralho.

SaraL. disse...

"Eu me enrolo, atuo, finjo que não, mas a verdade é que: sim. Sim. Pra todas as suas perguntas, sim." rsrs exatamente assim! Puta honestidade!

Luciana Brito disse...

Caramba, amei! Dá pra não amar um texto assim? Lógico que não!

Beijo!

carla reis disse...

Ai Maria, para tá? Para de descrever exatamente milhões de sensaçãos, para de me emocionar. E continua escrevendo assim, tão maravilhosamente bem.

Ps: Acho que tu chegou no limite, limite é isso, nada supera um texto que a gente lê, quer viver, e se emociona, nada supera isso.
E você vem superando a um tempo.

lilian casas disse...

falar, conseguir transpor em palavras o que sentimos, como nos sentimos diante de alguém é pra poucos minha linda....que bom que você é assim tia, autêntica, verdadeira...sublime...não se esconde..fala, grita o que te vem no peito...seja assim , continue assim...seja sempre voc}ê!!!

Fernanda disse...

Amei amei amei!!!!

Anônimo disse...

PUTA QUE PARIU.
Porque ninguém sente isso por mim?

disse...

Algumas vezes co-lo-ri-da e DOLORIDA.. Mas vale a pena! Lindo seu texto

Beijos no coração

=)

Poetinha Feia disse...

Lindo:

[...]Eu era uma parede pintada de branco.
Hoje eu estou aqui, co-lo-ri-da[...].

Eu nunca sei quando calar meus sentimento e gritá-los por aí... Vivo na corda bamba, no limite. Mas, não tenho medo de amar e errar.

Seu texto é belíssimo!!!
Obrigada pelo comentário lá no blog!
obrigada pelo carinho!

Beijo

Anônimo disse...

''Co-lo-ri-do'' ficou o meu dia após ler essa maravilha.
Vontade de te dar um abraço e dizer que tudo vai dar certo e ser lindo.

bjs, camila fontes.

gabs. disse...

eitaaaa nóss, viu moça??!
muito lindo o seu texto de declaração desavergonhada, sem esse medo de parecer bobinha ou piegas.
invejinha literária dessa sua escrita livre.

:*

Anônimo disse...

É menina, eu acompanho isso aqui há um ano e nunca vi tanta leveza num texto teu. É como se voce tivesse se sentado, fechado os olhos e deixado o coração falar. Tá bonito por demais.
Parece até verdade.
Se for, que esse cara lhe faça feliz. Se não for, eu torço pra que um dia encontre alguém que a faça sentir dessa forma.

Te adoro em palavras.
Thiago Guerra.

Dayane Pereira disse...

Bom ler um texto assim que fala de sentimento por alguém sem ser clichê. Totalmente original!