quarta-feira, 16 de março de 2011

Desmetaforizada

Hoje, mais um dia comum, em que eu acordei pensando no que comer. É, essa é a verdade. Eu não acordo com Chico Buarque na ponta da língua, mas sim com fome.
E eu ando cansada dessa conjectura romântica em torno da minha personalidade. Vamos parar por aí, sim?
Eu bocejei 34 vezes ao ver PS:i love you e cidade dos anjos, e acho um saco, um saco, um saco, a maioria das histórias de ''amor pra sempre''. Às vezes eu prefiro American Pie, pagodes no repeat, e dança da manivela no Carnaval de Salvador.

Aliás, eu gosto mais de sentir do que saber, apesar da minha incontrolável mania de conceituar boa parte das sensações que me acometem. Não sou boa em dar conselhos porque, cá entre nós, nunca fui boa em seguir minhas próprias teorias baseadas em qualquer porcaria que eu lesse, visse ou inventasse. Pois é. Estou dizendo isso, assim, porque cansei. Cansei de viver á sombra do que escrevo, da petulância de quem acha que sabe e pior: da ingenuidade de quem acha que EU SEI.

Eu não sei de nada, a não ser que eu tenha lido ou alguém tenha me dito. A não ser, também, que eu possa inventar e fazê-lo acreditar que eu entendo perfeitamente o que estou querendo dizer.

Eu não sei porque os homens vão embora, não sei porque não ligam, não procuram e não se explicam. Não sei de amor, paixão, relacionamento, amizade...Quem me inspirou não tem sorte nenhuma, não entendo as dinâmicas da vida... Eu só sei viver e quando não tenho as respostas, sei fazer as perguntas.Eu só gosto de falar bonito, provocar suspiros e suspirar junto. Mas não sou uma metáfora. Eu tento criá-las. É isso, eu sou mais rasa do que tábua de passar roupa. Sou como aqueles lagos imensos que vistos de cima e de longe parecem tão profundos e navegáveis mas se você se atrever a entrar, a água bate no joelho e não tem nem peixe naquela porcaria. Entende?

Ah se você aí soubesse o quanto me cansa a mania das pessoas acharem que me escondo por trás de um texto ou pior, que tento me revelar por meio deste. Ah, minha gente, escrever pra mim é como tocar gaita, cantar uma música, comer o prato favorito ou dar um beijo na boca. É só uma coisa que eu gosto. Sozinha, pra mim. Não quero agradar. Não quero virar mistério, best seller, poeira em prateleira ou spam no seu e-mail. Quero exalar meu sentimento, meu achismo, meu tédio. É, meu tédio.

Eu quero mais é que todo mundo ame, todo mundo entenda, todo mundo vire poeta e pare com essa mania de Caio Fernando Abreu e Vinícius de Moraes. Quero mais bilhetes em guardanapos e menos cartões de livrarias, entende? Aliás, não preocupe-se, a essas alturas nem eu sei mais do que estou falando...


Aviso aos leitores mais ''assíduos'': Ficarei sem muitas condições de publicar textos. E mesmo que eu consiga uma brecha e os publique, há impossibilidade de responder comentários e talz. Quem for legal aí, me mande e-mails. Sempre que der, estarei lendo - e quiçá respondendo. É mais fácil. Enfim, no mais, me desejem sorte. Fui recomeçar.

15 comentários:

mariana serpa disse...

Quero exalar meu sentimento, meu achismo, meu tédio. É, meu tédio.

entende? Aliás, não preocupe-se, a essas alturas nem eu sei mais do que estou falando ...

adoro! beijo enorme ;*

R.B.Côvo disse...

Eu ficaria contente se parassem com essa mania de C.F. Abreu. É o que mais se vê nos pretensos blogs de poesia. Uff! Abraço.

Bruna disse...

Seus textos são maravilhosos!

Charlie Bravo' disse...

Menina do paradoxo! Começa falando que odeia essas coisas de amor, mas ao deslizar pelas linhas vejo que foi se entregando e no fim tudo o que quis foi um pouco mais de romance.

ah....beijos em ti, Charlie B.

Mariana Andrade. disse...

no final das contas, de que vale criar a imagem mais linda - de si mesmo ou dos outros - se ela não é real?
aliás, o que é real deveria ser considerado sempre mais bonito... só por existir, de fato, sabe? sem precisar gastar tempo pra inventar e fingir...

ticoético disse...

Cara senhora Midlej,quando li teu coment lá no meu espaço,que é todo nosso,já esperava algo assim,pois quando folia e felicidade estão na mesma frase,algo acontece,ou aconteceu de diferente,sabe?
Eu tive o prazer de saber de três pessoas que não curtiam tanto assim o carnaval,mas que,de repente,neste ano "caíram na folia".E eu fico muito feliz por isso,não só por gostar muito desta festa e querer que os outros gostem por osmose,mas sim porque vi que estas pessoas deixaram-se levar e abater pelo "espírito da coisa" mesmo que elas não vejam essa festa como eu vejo.
Esse teu texto foi tão bonito e engraçado,tão pessoal,tão seu,que eu não sei se eu lhe parabenizo ou se falo de American Pie,ou até se canto a Dança da Manivela.(antiga,não?)
Caraca,Vinícius de Moraes fala de coisas lindas,mas poxa,todo mundo sabe que a nossa vida não é um comercial de manteiga,de sabão em pó,ou uma comédia romântica,sentimos fome e frio e nem sempre acordamos felizes,e não temos a habilidade do poeta de peidar poesia a qualquer hora do dia.Não somos especialistas no amor(se é que eles realmente existem),e também não fazemos o papel de psicólogos quando elogiamos este ou aquele sentimento.
Bom é saber de você,do verdadeiro prazer que tem em escrever por escrever,fico feliz só em poder compartilhar contigo algumas palavras,enfim,dá próxima vez te mando uma carta ou um email em vez de publicar textos na caixa de comentários,hehehe,obrigado por deixar-se perder para assim se achar e,talvez,esclarecer.

abraço,pobre "lago raso" (:

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Diacho, que show de crônica!

Você falou tudo e nada ao mesmo tempo - como todo cronista que se preze - e o fez bem.

Parabéns!

E essa do lago raso foi mesmo demais!
:)

mila disse...

Eu dormi na primeira vez que vi "titanic" e não gostei de "ps i love you"
aeee, alguém que me entende. ahtri

Nossa, adorei seu desabafo. Mesmo. E posso dizer que até te entendo.

"quero mais bilhetes em guardanapos..."

L. Sampaio disse...

"Não quero virar mistério, best seller, poeira em prateleira ou spam no seu e-mail. Quero exalar meu sentimento, meu achismo, meu tédio. É, meu tédio."
Podiam ser minhas essas palavras sabia haha
Se bem que sou muito do tipo romântico que suspirou um ps:eu te amo e cidade dos anjos... é, uma tristeza rs
É, só sabemos que não sabemos de naada!
beeijos.

Poetinha Feia disse...

Esse texto revela tanta sensibilidade e sinceridade.

Todas as frases muito bem colocadas, pensadas e sentidas.

"Não quero virar mistério, best seller, poeira em prateleira ou spam no seu e-mail. Quero exalar meu sentimento, meu achismo, meu tédio."

Muito bom"


Bj

dear sarah disse...

Para tudo há um motivo, há um propósito. Mas na maioria das vezes não precisamos entendê-los.. nem ao menos entender o que queremos ser.

Você é o que é, mas tenho certeza que vai mudar..
mudar de opinião e conceitos ao longo da vida.
O tempo muda a gente, muda tudo em volta da gente. Devemos ser aquilo que queremos e podemos ser.


Beijos, adorei aqui.

Juliana disse...

É quem é que sabe alghuma coisa, nesse mundo somos todos ignorantes. Eu já tive uma fase assim, como a sua, mas cabei voltando a postar. Ah... e boa sorte! Beijos.

Fernand's disse...

o romantismo depende do momneto que estamos vivendo...



linda,
para desabilitar o botão direito do mouse:

http://www.codigosblog.com.br/2007/07/desabilitar-o-boto-direito-do-mouse.html


para bloquear a seleção de texto:
http://codigofonte.uol.com.br/codigo/js-dhtml/diversos/desabilitar-botao-direito-e-selecao-de-texto


espero ter ajudado!
bjsmeus

Rebeca Amaral disse...

Falou e disse... TUDO!

Laura K. disse...

Quero mais sentimentos nos gestos e não somente nas palavras.