terça-feira, 25 de janeiro de 2011

"Ou me quer e vem, ou não me quer e não vem

...Mas que me diga logo pra que eu possa desocupar o coração. Avisei que não dou mais nenhum sinal de vida. E não darei. Não é mais possível. Não vou me alimentar de ilusões. Prefiro reconhecer com o máximo de tranqüilidade possível que estou só do que ficar a mercê de visitas adiadas, encontros transferidos" (Caio F.)


Já devo ter mencionado um milhão de vezes que adoro as sensações que acompanham os acontecimentos. Mas o problema ás vezes é quando eu não tenho lá muita coisa pra ocupar a mente e o coração e surge assim, como quem não quer nada, um ser humano vestido de azul e com um sorriso bem largo pra dizer que quer entrar na minha vida. Eu sei que a metáfora não foi das melhores, mas isso foi só pra que você entenda que eu deixei você entrar e agora você simplesmente estacionou na porta me deixando com cara de origami lhe esperando no sofá.
Acontece que eu sou muito sentimental, extremamente exagerada e altamente dependente. Mas não é disso que eu quero falar, e sim dessa sua repentina mania de me querer, pra que eu assim te quisesse e você, do nada, não estar querendo mais. Isso acaba comigo. Mas não é culpa sua, eu sei. A culpa é do meu exacerbado equívoco a respeito de suas palavras, ações e olhares. Você não veio com manual de instruções e eu acabo metendo os pés pelas mãos na tentativa de te decifrar, todos os dias.É sim, não dê risada, eu tento entender até o seu silêncio e a sua demora. Esmigalho cada gesto, cada frase, cada ''qualquer coisa'' achando que há um propósito maior quando você sorri e me pergunta como estou.
Daí que eu andei procurando as palavras certas em mim pra tentar fazê-lo entender que isso não é um contrato nem nenhum tipo de desespero neurótico. Na verdade, é até muito simples, eu só não quero dar relevância ao que não merece, nem mergulhar de cabeça numa piscina rasa, sabe?
Portanto, se você quiser, você fala, certo? Não demonstre, diga. Afinal, como já deve ter ficado óbvio, não sei entender gestos. E o mais importante: se não quiser, simplesmente se afaste. Me deixe cá com meus botões, com meus retalhos e cacos. Eu sempre me consertei sozinha, só preciso de tempo e muita cola.
A cola, nesse caso é a certeza. Eu preciso ter cer-te-za, entendeu? É isso.

13 comentários:

Henrique Miné disse...

mas poxa, qual a graça daí? :b

se serve de consolo, me lembro que antes de começar a namorar, sentia exatamente isso, deu certo x)


beeeeijos.

Rafael Pin disse...

ôh Maria você é uma garota interessante, fiquei com vontade de te decifrar...
você escreve muuito bem...gostei, pq adorei fica gay.

ticoético disse...

Ah,a danada da indecisão...tá na hora de olho no olho,palavras bem claras,de sim,de não,chega de metáforas e subentendimentos,e tnh dito.
...enfim,bela.
abraço !

Drizana Ribeiro disse...

Não sei porque ainda tem gente que acha que nós podemos ler mentes. Não podemos. E tudo seria mais fácil se aquele pessoa, aquele cara, fosse objetivo o suficiente para mostrar o que ele realmente quer. Se não for dito, não tem como adivinhar. A vida seria mais assim, com a sinceridade e a decisão. E o amor também.
Gostei muito do seu post,lindo demais! E seu blog tbm!
Bjs, Dri !

Anônimo disse...

Adorei o post. Me identifico muito com as situações. hehe

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Todos queremos ter certeza de alguma coisa. Encontrar respostas, ou semi-respostas nos gestos pode ser mais difícil, mas tem mais graça. Mesmo assim é preciso saber, certo? Então dizer ainda é uma alternativa válida.


Ótimo texto e maravilhosa citação!

ONtem te indiquei pra um selo, está lá no blog.

Deivisson disse...

Interessante ; eu gostei
abrçs e boa semana.

Mariana Andrade. disse...

essa tal certeza às vezes é a coisa mais óbvia do mundo, tá bem ali na nossa frente.
e a gente complica tanto as coisas, que nem consegue enxergar.


beijos.

Dayne Dantas disse...

'Na verdade, é até muito simples, eu só não quero dar relevância ao que não merece, nem mergulhar de cabeça numa piscina rasa, sabe?'

Nós vivemos coisas bem parecidas... Acho graça, sempre.

Mudando de assunto... Parabéns pra vc \õ/ Universidade é coisa boa, cara!
Cê vai morar aonde?
;***

Erica Vittorazzi disse...

Sou como você: as incertezas nos causam psicose.


Beijos

mari. disse...

É como dizem... Ou trepa ou sai de cima. Deixar na vontade é que não dá.

=)

Laura K. disse...

As incertezas me tiram do sério, sempre.

Anônimo disse...

Maria esse texto ai embaixo é seu? meu deus você tem idéia do quanto estou chorando e do quanto você em algumas linhas disse TUDO que eu estou sentindo nesse exato momento? parabéns e MUITO obrigado por me fazer descobrir que nessa noite que eu tb fiquei sentada esperando no sofá, eu não estou sozinha!