sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

...

Sabe, eu estava aqui pensando nessa coisa toda de casal, relacionamento e tudo isso que não funciona muito bem. Primeiro eu queria entender como diabos tudo começa, depois como se transforma no que estava sendo e pra finalizar, eu queria saber o por quê. É que eu não consigo compreender que as coisas aconteçam sem um motivo, sabe? Nem muito menos por que alguém aparece, vem, pede, insiste e parece querer tanto, uma coisa que no final ele, sei lá, nota não querer desde o início. Olha, ser humano de vez em quando é uma merda. Daí que talvez nem haja uma explicação pra tudo, só que eu mesmo assim continuo pensando. Afinal deve haver um ponto. Posto que pra todas as coisas há uma explicação, ainda que não de fácil compreensão. E eu sei e você também deve saber, que apesar de muito estudo, muita prática e muita revisão, entender dessas coisas não é tão fácil quanto passar no vestibular. O que me faz lembrar de outros tantos problemas aos quais preciso dar uma solução o quanto antes.

Mas cá entre nós, que se danem os problemas. E você.
Principalmente você.

18 comentários:

Luciana Brito disse...

Até existem explicações, só resta saber até que ponto são verdadeiras e fazem sentido.

É melhor deixar toda essa coisa pra lá e simplesmente fingir que tudo acontece por acaso. Como tu disse, que se danem os problemas.

Beijo! ^^

Mariana Andrade. disse...

vou discordar do comentário acima.. não acho que dá pra fingir que tudo acontece por acaso. primeiro: acho que nesse caso, definitivamente, não dá pra fingir. a gente cria a habilidade de fingir pra todo mundo, até pra nós mesmos.. o problema é que, ao contrário das outras pessoas, sempre sabemos até que ponto vai a nossa realidade.
e também acho que em algum lugarzinho há uma explicação pra tudo isso, que nos obrigaram a colocar na cabeça que não dá pra entender. às vezes quero entender, às vezes não. mas esse não é o ponto. só acho que, realmente, o ser humano de vez em quando é uma merda. e explicações desse tamanho de forma alguma caberiam em nós. é o tipo de coisa que não permite limitações.

beijos, Má;

Layla Barlavento disse...

Não perca tempo procurando explicações pro que já não vale mais a pena Má. Pense primeiro em você, segundo em você e terceiro em você pra depois pensar nos outros.

Beijos na alma!
Layla Barlavento
culpadowalter.blogspot.com

Tamara Lacerda disse...

aaaaaaaaahhh é você é de Itabuunaa! Nossa! a gente se passa nas coisas... é que na verdade eu já to tão acostumada com meus contatos aqui do blog serem de longe, que acabo nem querendo reparar mais... hehe.
poxa, que legaal! e você colocou direito aqui como primeira opção, foi? tenho um brother dai que tá morando aqui, fazendo uneb.. e tem mais um monte de gente assim! tomara que você passe, vou torcer aqui! *---*
eu tambem to na tensão.. mas ainda tenho que fazer a segunda fase da ufba, esse fds. to toda sensitiva com isso =S e tem ufrb tambem.. fiz uneb mas n pro curso que quero de verdade.. :)

fiquei feliz em saber! hhahahaha
beeijo!

Tamara Lacerda disse...

Sobre o post agora, rs.
Bom, pra tanta coisa não existe explicação. "Descobrir o verdadeiro sentido das coisas é querer saber demais" já dizia Fernando Anitelli. Eu, assim como você, penso muito nas coisas, no sentido delas, como elas são... Mas depois sempre paro e me digo que é melhor eu me contentar com o viver, bem mais que o entender.. Tem coisas que a gente vive que foge qualquer entendimento, coisa de louco pensar demais.

E que se danem os problemas!!! o/

beijoo

Henrique Miné disse...

ahah, mas nem tudo tem uma explicação

E, se tiver, não somos nós que vamos conhecê-la.



beeeeeijos :b

Barbara C disse...

Tudo existe explicação sim cabivel e sensata. Mas não devemos fixar no motivo, criar dúvida do fato e sim tentar viver da melhor forma possivel, até porque cada um tem uma história e a explicação pra um não vai ser a mesma para outra.

Emfim acharemos o motivo de tudo isso quando tivermos evoluidos suficiente quado for a hora certa ela vem.


bjo

Gabriela Andrade disse...

Ao ler o texto, lembrei-me disso do titio Quintana: "O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você."
Um beijo!

Ana Vicente disse...

Sempre penso que no final o saldo é positivo... a raiva, a mágoa ou a tristeza do fim duram menos que os bons momentos.
O sofrimento de fim de relacionamento deve ser considerado como uma TPM, natural, intenso, turbulento e rápido!!!!
Bjs e fica bem

mila disse...

Ainda acho que certas coisas são inexplicáveis. Podemos até sentir, mas não há quem explique. E realmente não é tão fácil quanto passar no vestibular, hehe

beijos, querida :*

Felipe Braga disse...

Ah, Maria, eu acho que a experiência transcende qualquer explicação. Por isso todas são vagas, e não conseguimos encontrá-las. Quem consegue, em minha opinião, nunca amou de verdade.

Sinta, e a explicação para isso estará em cada toque, das mãos ou do olhar.

Você está descambando para um lado da metafísica que só se aplica na poesia. hehe

Beijos.

Tainá Facó disse...

Bem assim que eu ando repetindo pra mim mesma: que se danem os problemas. E vc. Principalmente vc.

Marcelo Zaniolo disse...

Gostou da metáfora, é? Haha... Que bom =)

Na verdade fiquei bem contente com isso. Quando eu escrevi não sabia se estava me fazendo claro e se alguém ia ver que não era sobre um homem e um rio de fato! Hehe

E "já" arrumei o errinho lá. Por mais que eu leia e releia o texto sempre passa algo. Obrigado e desculpe o erro de revisão! Haha

Quanto ao ser "pensamento", entendo perfeitamente o que você quis dizer. Acho foda também viver e se influenciar tanto por algo que simplesmente acontece. Começa e acaba.

Se um dia entenderes como tudo isso acontece, por favor posta ai no blog, ta? Haha

E, alias, e que final, hein? Espero que esse "você" da última linha tenha lido este texto e entendido a mensagem.

Beijo e boa semana.

ratoderua disse...

Má...

É tudo mais complexo do que imaginamos e ao mesmo tempo mais simples do que pensamos. Quando procuramos amar, não amamos. Pode perceber. Não amamos nem ferrando. Quando estamos quietos, lá no nosso canto, vivendo nossas vidinhas, de boa com a gente mesmo, tá lá! Lá vem o tal do amor. Lá vem a tal da pessoa que começa ser dona do nosso pensamento. Nós não pedimos, apenas somos pegos de surpresa. A construção de um casal em si, demora tempo. Vai além de um simples:

- Quer namorar comigo?
- Quero.

Pronto está formado mais um casal. Não penso assim. Penso que um casal vai se construindo conforme o tempo. E muitas vezes muito tempo é pouco pra essa construção. E em contrapartida em muitos casos, pouco tempo é necessário pra uma construção em tempo recorde. Ou seja, é difícil saber como se formam os casais, ou como esse lance todo de amor, casal, casais e tudo isso vêm pra gente. Apenas vêm.

Não coloco a responsabilidade nem no acaso, nem muito menos no destino. Nosso destino somos nós quem fazemos. Ponto. Sendo assim, se somos nós que fazemos nosso destino e somos responsáveis pelo que acontece com nossas vidas, o acaso é algo completamente inesperado não existe, concorda? Mesmo a Fernanda dizendo que nosso esbarrão foi destino, haahahhahahahahahahahaha...

Relaxa, Má... Tentar entender tudo isso, deixa qualquer um louco; e te digo isso por experiência própria. Acredite! É foda! Aliás, vc sabe disso, hahahahahaha.

Bjs.

ratoderua disse...

E ahhh, esqueci de dizer algo...

Pense em você! Você vem em primeiro lugar. O resto é resto. Mesmo sendo um "resto" que te tumultue. Nada que nos faça sofrer e viver tomando doses de angustia e duvidas, merece realmente o que somos e o que podemos vir a oferecer e a fazer pela vida de alguém. Sendo assim...

Má em primeiro lugar. SEMPRE!!!

Dalton Mesquita Filho disse...

compartilhamos essa sede por explicações científicas e calculadas para tudo, apesar de muitas vezes elas se oncultarem, ou simplesmente inexistirem.

Grande beijo.

Dalton

Larissa disse...

Acredito eu que jamais saberemos como as coisas de amor funcionam. Porque são coisas inexplicáveis, sentimentos inexplicáveis. Só precisamos entender que aquilo aconteceu pra nos trazer um pouco de felicidade. Ou talvez não, vai saber?!

paula disse...

quando sai o livro, hein? vai escrever tão bem assim lá...
... em casa.
quando eu não tiver as palavras certas!

beijo!