sexta-feira, 4 de junho de 2010

Quer passar uma temporada no meu coração?

Olá, tudo bem? Te vi de longe e resolvi me aproximar. Tem planos pro sábado? E pro domingo? Tem planos pro proximo mês? É que eu tenho uma proposta irrecusável.. Não quer passar uma semana incrível no meu coração? Ele anda meio vazio, meio sujo e sangrento, mas caso queira, dou um jeito. Tudo pela satisfação do convidado, né? Meu coração é interessante de se visitar. Nunca foi moradia fixa pra ninguém e já foi mal-utilizado várias vezes, mas ainda é habitável. Digo, passar umas noites aqui não lhe custará mais do que meia dúzia de palavras e um ou dois beijos mais quentes pra satisfazê-lo, pobre coitado. Nao será nada memorável, como eu um dia já esperei que fosse e eu sei que você vai enjoar fácil dessas paredes sempre vermelhas e sem nenhum quadro na parede. Mas se à noite o tédio apertar, tem uma gaveta no meu coração. Te autorizo a abrí-la com cuidado e remexer meus papéis. Minhas lembranças. Tem muita coisa rasgada, recolada, e rasgada de novo. Faz parte de uma coisa que temos. Eu e o meu coração. É um museu de histórias mal-contadas e mal-resolvidas. Quem sabe isso não lhe diverte?
Mas deixemos de lado os pormenores e voltemos ao que importa. Eu sei que vou me apaixonar, sabe, moço? Mas acredite, essa é a graça. Você vai se divertir muito com isso, vai poder sair daqui quando bem entender, deixando os cigarros em cima da cama ou qualquer coisa que lhe mantenha presente de alguma forma, e quando estiver cansado, você volta que vai continuar quente e confortável aqui dentro. O seu lugar estará guardado, eu estarei satisfeitissima com isso, como manda o figurino.
E então, topa? Sei que há muitos corações por aí, mas é que faz tanto tempo que não me visitam, que você podia pensar com carinho na minha proposta. Eu limparei tudo, renovarei o estofado e bordarei lençóis com as suas iniciais. Você se sentirá em casa. Então, vou lhe dar meu número, mas não me ligue não!! É só pra quando você for ligar pra alguma pessoa ou mandar uma mensagem, acabar me enviando sem querer, assim pensarei esperançosa que você está voltando, e fecharei as janelas pras borboletas não invadirem o seu lugar.
E apesar do desespero no tom da minha voz e na falta completa de coesão no que acabo de lhe dizer, não me julgue desesperada, histérica ou maluca, é que basta pra mim dessa coisa toda. Já não acredito na beleza dos gestos, na naturalidade do acontecimento e nas mensagens enviadas na madrugada. Não acredito em visitas surpresas, telefonemas diários e saudades declaradas. É tudo uma questão de conforto, né moço? Né?

13 comentários:

Lua Nova disse...

Menina...
Muito bom post... interessante ponto de vista. Seria muito bom se conseguisse me conformar só com o "conforto".Não conseguiria me satisfazer meu o coração inquieto e a minha alma instável. Adoro paixões alucinadas, adoro a conquista, adoro um romance envolvente, que me dê asas, que me faça rir sozinha. E desconfio que vc também... rsrsr...
Seja como for, gostei muito do seu blog, da sua maneira de expor seus sentimentos.
Vou segui-la e convido-a para visitar-me e tomar um chocolate comigo. Quem sabe decida seguir-me também. Me daria muito prazer.
Beijos.

mila. disse...

Ai, sério, achei muito divertido esse texto *-*
Será mesmo tudo só uma questão de conforto? rs
Lindo lindo lindo :**

Yasminck disse...

Chegar um hora que ele cansa e ou deixar todo mundo entrar ou acostuma-se com as borboletas no vazio, mas como tudo na vida é imprevisível chega a hora que a pessoa certa aparece e fica por muito tempo. Ótimo texto.

Marcelo Mayer disse...

certas viagens custam caras

Lury Sampaio disse...

Eras, como seria bom encurtar toda aquela história e só oferecer moradia por um tempo, deixar de lado que ele conquiste um lugar no coração, e oferecer esse lugar logo para ele, mesmo sabendo que uma hora ele vai partir.
Muito bem escrito, amei o texto.
beijos.

Henrique Miné disse...

eu se fosse você, mesmo não acreditando daria mais valor ao coração.

Assim, com o tempo, passaria a acreditar. Porque foi isso que aconteceu comigo x)

Beeeijos e acredito que, em breve, finalmente vc vai escutar a música que escreveu lá :b

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

Você escreveu muito bem esse texto.
Mas o eu-lírico está tão desiludido e magoado que já não consegue acreditar no amor. Eu já me magoei algumas vezes, mas ainda insisto em acreditar nele. Em pensar que a hora do inesperado pode ser mesmo essa. Que mesmo que alguém tenha a pretensão de usar o meu coração por um tempo e depois sair deixando apenas os estragos atrás de si, vai acabar se convencendo a ficar mais um pouco. E mais um pouco. Até que não queira mais sair.
Aiaiai...

:]

Erica Ferro disse...

Eu nem sei de mais nada, só que eu tô muito acomodada pra visitar qualquer coração. Tenho medo, também.

*Natália* disse...

Lindo o post !
E eu to precisando de moradores no meu coração !!

beiijos

Mariana Andrade. disse...

eu ainda digo que se tiver conforto é questão de tempo.
ainda digo, juro.

Gislaine Fernandes disse...

Amei o post!
Vou me inspirar e fazer essa proposta ali a uma pessoa!
beijos

@juusep disse...

devia ser facil assim. quem dera o coração falar! ;*

Dayne S. disse...

'Eu sei que vou me apaixonar, sabe, moço?'

Tb não acredito mais em nada...
Mas gostaria!
Coisa triste é ser discrente quando o assunto é 'amor'.