segunda-feira, 20 de abril de 2009

Adeus.

Os nosso ultimos encontros foram estranhos, você não me olha mais nos olhos. E chega perto de mim, mas não parece estar ao meu lado. É realmente complicado quando isso acontece, mesmo pra mim, que sempre afasto as pessoas. Olha pra mim enquanto eu falo, tá? Não olha pra baixo, olha PRA MIM! Eu não estou te pedindo um certificado de posse, estou te pedindo pra estar comigo. A M I Z A D E, já ouviu falar? Eu não estou gritando, eu falo alto assim mesmo. Não me interrompe, deixa eu concluir. Porque não confia em mim como eu confio em você? Eu realmente quero... queria você por perto. Eu tentei dizer. Ao menos eu tentei... Olha, eu vou embora de você, e nem sei se vou voltar. Eu sei que você escolheu a indiferença, mas eu mesma estou tão indiferente comigo, eu não ligo. Mesmo. Só que já faz um tempo que eu também tento ser indiferente contigo. Vou lhe confessar, eu não sei dizer 'adeus', e não sei mais lhe amar..


''Aprendi a só pensar em mim.
Seja forte, tente alcançar. ''
(moptop - Adeus)

sábado, 11 de abril de 2009

Quando eu crescer

Quando eu crescer eu não quero perder tempo com coisas óbvias. Quero escolher uma profissão certa e me dedicar muito ao que farei, quero ter amigos de fim de semana, com os quais virarei a noite toda sexta-feira ao final do expediente, todos cansados, mas felizes por mais um encontro semanal. Quero ter um amor, não um marido, com obrigações chatas e contratos, como o que vejo por aí. Quero ter é quem me espere ao anoitecer, ou quem me faça esperar por si quando estiver no trabalho. Tudo assim, bem limpinho e claro. Bonito, até. Não ele, nem eu.. nosso amor apenas.E que Deus me permita não ser ranzinza, fria ou triste, porque não deve ser muito bom.. principalmente quando todos ao redor começam a perceber. Quando eu crescer quero ter uma familia só minha, formada por pessoas que me olhem no almoço e saibam ao menos o meu nome e não digam coisas como: AH VOCE É FILHA DE FULANO? TÁ GRANDE.... esse tipo de coisa é desnecessário.
Eu vou contar historias aos meus filhos, se o acaso me fizer tê-los, sobre como é dificil crescer nos dias de hoje, sobre como a mãe deles superou cada dia dessa vida com um sorriso ou lágrimas, como é importante, importante E importante ter amigos , sempre, mesmo que não por perto o tempo inteiro, contarei-lhes sobre a sua avó, da qual direi com muito orgulho que herdei a PERSONALIDADE! Virão lágrimas aos meus olhos, sempre que eu lembrar da minha mãe, porque ela é maravilhosa. Ou melhor, ela é tudo! (...)Contarei a eles também, como é constrangedor não seguir padrões na minha época, e que o aquecimento global é culpa da minha geração descuidada. (Eles podem me odiar por isso, odiar todos os meus companheiros, mas eu vou contar), direi pra pensarem bem em todas as decisões que tomarem, seja na hora de escolher uma roupa.. ou coisas mais relevantes e visívelmente importantes, e que sou prova viva de escolhas impensadas e decisões péssimas. Como daquela vez em que alguém me perguntou alguma coisa e eu fugi do assunto, assim, sei lá, pra não magoar quem me viria a magoar mais tarde e perder uma coisa que desejo fervorosamente todos os dias, desde então.