quarta-feira, 26 de agosto de 2009

E agora?

Lágrimas tímidas surgiram no rosto dela. Eu sabia, ela sabia, que o choro ia chegar. Tentei abraçá-la com um sorriso amarelo, e encontrar uma palavrade consolo. Não havia uma sequer.
Abracei-a mais forte, sem sorrir. Respeitando a sua dor.
Como podem tais coisas acontecerem e ninguém impedí-las? Me senti impotente - o que de fato sou -, por não ter o que fazer. Ela acalmou-se e disse, sem jeito: ''E agora?''
Era uma pergunta complexa demais. Eu nao podia simplesmente respondê-la, com a mesma rapidez que responderia à garçonete da padaria que sempre me pergunta como gosto do meu suco. Não era uma pergunta de resposta fácil. Olhei em seus olhos -grandes e castanhos- que ainda estavam vermelhos por conta do choro, e, ainda olhando pra eles, pensei.
Pensei em todos os dias em que me preocupei com coisas bobas. Meu Deus, como sou imatura, tentando me encontrar nas coisas da vida.. como sou boba e ingênua em questões amorosas e como sou infantil com relação às minhas amizades... Como posso achar que problema é isto?
E pensar que até aquele dia, minha maior preocupação era com o meu cabelo (e não vou começar a tocar nesse assunto aqui, porque o assunto não é esse). Senti vontade de chorar, também, que de alguma forma me deixa aliviada. Mas chorar dói na cabeça e no peito e era tudo o que eu menos precisava agora. Já me doía o peito de vê-la assim. A pessoa que me passa força e segurança, estava ali nos meus braços, me fazendo uma pergunta -pela primeira vez- e eu não tinha uma resposta.
Pensei em dizer ''aponta pra a fé e rema'', mas ela iria me olhar apertado e chorar mais forte.
O que dizer? Desejei que a pergunta fosse um cálculo, ou tivesse a ver com um livro ou filme bastante comentado ou interessante que eu já tivesse lido ou visto. Mas era mais que isso, era sobre a vida. -Não a vida em si, mas a NOSSA vida.
E agora?
Só me fiz esta pergnta 456 vezes na vida, eu acho. (sabia que quando penso em um número o primeiro que me vem à cabeça é este?) Todas muito bobas, como quando eu quebrei um vaso e ela -ela dos olhos grandes e castanhos que sempre sorriam e agoram choram aqui, na minha frente - me olhou com um olhar repreensivo e eu pensei ''E agora?''. Queria fugir, agora. Pra longe do mundo, lá na lua e ficar olhando pra cá. Uma imensa bola azul onde não é mais seguro viver.
Percebi que já faziam uns 5 minutos que ela me olhava com ar de pergunta e que eu me perdia em pensamentos inúteis - como sempre-, então sorri um sorriso confiante e disse
-E agora a gente continua a viver. Porque é assim que tem que ser. Não quero parecer clichê, nem nada, mas estamos juntos. E juntos, iremos superar isso. -
Ela não sorriu, nem disse nada. Apenas piscou duas vezes, e me deu um abraço.

Naquela noite eu não chorei. Posso ter chorado depois, mas ali, não chorei.

12 comentários:

ma! =) disse...

E agora é uma pergunta realmente difícil de se responder.
E ela, porque chorava?

Maiçá Chaves disse...

Ai...é tao complicado quando um amigo que sempre nosso porto seguro se sente, inseguro, e a gente fica ali..sem saber nem o que falar, e eu falod emais, pra ficar muda, te que ser algo bem serio mesmo!
Mais a gente sempre encontra uma resposta, nem que seja um, " a gente resolve amiga", mais encontra!
Sei como é isso!

Bjus Má!

p.s: gostei muuuito daqui tmb!

Brenda Matos disse...

Vocês vão superar, isso eu tenho certeza.
Por mais que as coisas pareçam conspirar para o contrário, acredite. Fé.

tô aqui, véi... quando precisar, grita. :)♥

Gunnar Vargas disse...

então, acho que o problema não era o show em si, mas o formato do show, a casa, o studio sp é uma coisa estranha, tipo semi-cult, com pessoas "semi-descoladas" e daí me cansa... eu gosto muito da pessoa que estava se apresentando, mas não rolou... não consegui curtir rsrs
fique a vonts... tb gostei daqui, vou olhar com calma agora.
beijão
gu

marialais disse...

Como Caio me disse uma certa vez: rs

"Depois, um amigo me chamou para ajudá-lo a cuidar da dor dele. Guardei a minha no bolso. E fui."

E quando a gente ve aqueles olhinhos, aquela dor e aquele choro a gente percebe que acabamos ligando para coisas inuteis.

Força.

marcelo dalla disse...

Olá!!!! Passei pra retribuir a visita e adore. Belos textos, lindo visual, tudo de bom! Já virei freguês.
Ah e consertei o link lá no blog, obrigado pela observação.
bjo

Anna ; disse...

qual o motivo do choro ? :x
e vs conseguiu ser forte, parabéns.
ah, obg pela sua visita
e o seu comentario não fico gigante não :x
to seguindo aqui \o/

Carolina disse...

Hummm gostei daqui,viu?
Valeu a visita ao Café e Papo, apareça sempre que quiser. Mi casa su casa, ok? Traz o papo que te ofereço um cappuccino bem gostoso.

bjos meus e bom findi!

Gêsa disse...

Adorei seu texto :)
Beeijos

Fran disse...

É tão difícil quando nos perguntam 'e agora?' e não temos a resposta, pior ainda quando não sabemos nem como agir.
Muito lindo seu blog!
Obrigada pela visita e volte sempre!

Beeijão!

Nêssa disse...

gostei da (repetida)descrição dos olhos.
isso me lembrou a música
SUA MULHER de O Círculo :~

Ana disse...

porque ela tava chorando?
hehehe


enfim, agente sempre consegue sobreviver aos problemas qdo estamos com as pessoas que amamos
hehe


bjs