terça-feira, 21 de outubro de 2008

Triste é ver que a cada dia as pessoas estão menos transparentes.Às vezes, fico me perguntando porque é tão difícil ser transparente?Costumamos acreditar que ser transparente é simplesmente ser sincero, não enganar os outros.Mas ser transparente é muito mais que isso.È ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar do que a gente sente...Ser transparente é desnudar a alma, é deixar cair às máscaras, baixar as armas, destruir os imensos e grossos muros que nos empenhamos tanto para levantar...Ser transparente é permitir que toda nosso doçura aflore, desabroche, transborde!Mas infelizmente quase sempre, a maioria de nos decide em não correr esse risco.Preferimos a dureza da razão à leveza que exporia toda fragilidade humana.Preferimos o nó na garganta, as lágrimas que brotam no mais profundo de nosso ser...Preferimos nos perder numa busca insana por respostas imediatas a simplesmente nos entregar e admitir que não sabemos do que temos medo!Por mais doloroso que seja ter de construir uma máscara que nos distancie cada vez mais de que realmente somos, preferimos assim: manter uma imagem que dê a sensação de proteção...E assim, vamos nos afogando mais e mais em falsas palavras, em falsas atitudes, em falsos sentimentos. Não porque sejamos pessoas mentirosas mais apenas porque nos perdemos de nós mesmos, e já não sabemos onde está nossa personalidade, nosso amor, mais intenso e não contaminado.Com o passar dos anos um vazio, frio e escuro nos faz perceber que já não sabemos dar e nem pedir o que de mais precioso temos a compartilhar, doçura, compaixão...a compreensão de que todos nos sofremos, nos sentimos sos imensamente, tristes e choramos baixinho antes de dormir, num silêncio que nos remete a uma saudade desesperada de nos mesmos, e que as coisas ainda são capazes de nos chocar. Daquilo que pulsa e grita dentro de nos, mas que não temos coragem de mostrar! Porque, infelizmente, aprendemos que é melhor revidar, descontar, agredir, acusar, criticar e julgar do que simplesmente dizer:

''você esta me machucando... pode parar, por favor?"

Porque aprendemos que dizer isso é ser fraco, bobo, é ser menos que o outro. Quando na verdade, se agíssemos com o coração poderíamos evitar tanta dor, tanta dor...Sugiro que deixemos explodir toda nossa doçura!Que consigamos não prender o choro, não conter a gargalhada, não esconder tanto nosso medo, não desejar parecer tão invencível.Que consigamos não tentar controlar tanto, responder tanto, competir tanto, que consigamos viver... Sentir, amar...E que você seja não só razão, mas também coração, não só um escudo, mas também sentimento.Seja transparente, apesar de todo o risco que isso possa significar. Experiência de que já deixou de ser transparente um dia, mas que caiu na real em tempo.
O feliz se limita a ser transparente, algumas pessoas ainda o conseguem e isso sim, é Bem feliz de se ver.


yn)

domingo, 12 de outubro de 2008

Quem?


Quem sou eu?
O que deveria ser uma pergunta fácil e simples, se tornou complexa pra mim... Dizem que a gente é o que a gente gosta: nossa comida preferida, os filmes curtimos, os amigos que escolhemos, as roupas que vestimos, a estação do ano preferida, nosso esporte, as cidades que nos encantam... Ei, você que não está fazendo nada agora, vamos brincar de saber quem a gente é? você daí e eu daqui. (w)Eu sou primavera, disparado, ligeiramente inverno talvez um pouco de verão,é. Sou Bukowski. Sou Lobão. Sou muito Beatles. Sou Chico Buarque pra me apaixonar. Sou the fray e Moptop quando chove. Sou Priscila Leone. Sou Cazuza. Sou música. Sou Adam Brody. Sou Ashton Kutcher. Sou amor! Sou pão,sou camarão,sou macarrão. os três alimentos que eu levaria para uma ilha deserta, mas não sou ilha deserta: sou metrópole.Sou roupas diferentes. Sou coca-cola. Sou feijão com arroz. Sou comidinhas da mamãe. Sou filé com fritas. Sou sorvete de morango com cobertura de caramelo.Sou batata frita do McDonnalds. Sou pipoca com sazón. Sou cachorro-quente só com catchup. Sou livros. Muitos Livros. Sou Harry Potter e O Caçador de Pipas. Sou Arte! Sou cães. Não gatos. Não sou borboleta, sou passarinho. Discos. Sou revista em quadrinhos. Sou mapas. Sou Internet, sou muito. Já fui muito tevê, hoje só um pouco. Sou muito Cinema e um pouco Teatro.Sou azul com preto, sou azul!. Sou quebra-cabeças. Sou aqueles dias em que não se tem nada pra fazer. Sou cabelo despenteado, presilhas que não combinam e roupas idem. Sou jeans. Sou ventilador de teto. Sou curiosidade. Sou carro, Não sou bicicleta. Sou à pé! Sou sofá e cama. Sou fotografia. Sou propaganda! Sou banho demorado. Sou comida japonesa com pauzinho. Sou rodizio. De qualquer coisa. Sou viagem. Não sou matemática, mas finjo que sou duas vezes por semana. Sou mar, sou areia. Praia. Sou Londres. São Paulo. Porto Alegre. EUA. Sou Bahia!Sou namorados, sou beijo sou amor. Sou Baêa. Sou vôlei, futebol e natação. Sou mais cama que mesa, mais noite que dia, mais doce que salgado, mais música que silêncio, mais pizza que banquete, mais guaraná antárctica que kwat. Sou esmalte colorido. Sou caras e bocas. Sou bico! Sou sorriso! Sou Winehouse, sou Cobain. Sou delírio. Sou eu mesma!