sábado, 20 de setembro de 2008

se eu fosse uma casa..

Sem querer parecer mais esquisita do que já sou... eu estava aqui lendo Morangos Mofados (Caio Fernando Abreu). Pela segunda vez. E dessa vez, com mais atenção fiquei meio assim, com uma frase, de um diálogo, de um conto.. ''Pela passagem de um Grande Amor'', era o conto. Quando a moça diz ''Eu, se fosse uma casa, queria uma piscina nos fundos. Um jardim enorme. E ar condicionado''... eu instantanemanete comecei a me imaginar (estranhamente) com uma aparência de casa. Meus cabelos eram avermelhados, cor de tijolo, e a cabeça, ao invéz de redonda era triangular e larga... e imaginei outros cômodos incômodos da casa, se formando pelas partes do meu corpo... o pior foi a minha barriga ser o quintal.. sabe-se lá por que... Mas não é só isso que eu vou escrever aqui, por favor nao pare de ler! Ou pare... tanto faz u_u


Imagino que todos nós somos como casas, ou moradias ou qualquer lugar desse em que se possa passar um tempo descansando, mais precisamente o coração da gente, a nossa mente, nossas palavras... Tente enxergar tudo como se fossem pequenos lugares. Tem o coração de mãe, que eu compararia com aqueles Hotéis cinco estrelas, ENORMES, com 3847 quartos, vários serviçais, café-da-manhã na cama, telefone grátis, alimentação... sabe assim? um luxo, e aposso-me do dito ''Sempre cabe mais um''. O coração dos amigos é uma pensãozinha, tem lugar pra você lá, mas só por umas noites... é confortável, eu diria indispensável. Só não se pode ficar muito tempo lá. Porque, me colocando no lugar dos corações-pensão eu fiquei com dó dos amigos bonzinhos que deixam os outros passaem temporadas em suas casas, inteiramente grátis! Pô ninguém merece esses ''fila-bóia'' por muito tempo né? Manda eles de volta pra o Hotel (UAHUAHAUHA).. mas enfim..
Os corações de hoje em dia, estão mais parecidos com abrigos, ou estádios de futebol, desses que você paga pra entrar, e paga bem barato, nem tem burocracia no caixa. Pra entrar numa dessas casas, basta dizer 'Bom dia', (com perdão do trocadilho)!
Ah... o meu coração... Se fosse uma casa, eu diria que seria um apartamento.. daqueles aconchegantes, sem muito luxo.. mas muito confortável. Seria vizinho ao coração-casa-hotel-cinco-estrelas, estaria na mesma rua daquela pensãozinha indispensável.. Não caberiam muitas pessoas aqui, sabe? Não sou dessas que abre as portas do coração (literalmente) pra qualquer um...
Mas foi só um pensamento...

Um comentário:

Thaís-inha! disse...

Má, adorei, quando li a frase também pensem que eu era uma casa, olhe pra minha vó e a imaginei como uma casa.

Imaginação fértil rules!
Caio Fernando arrasa!

:*

Adorei seu blog, vou linkar, cat!
Textos do jeito que eu gosto!